Vistoria veicular de transferência: o que é e como funciona

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Você está prestes a vender o seu carro, planejando comprar um seminovo ou usado, ou vai mudar de cidade ou Estado, e surge aquela dúvida: como funciona o processo da vistoria veicular de transferência?

Para quem não sabe, a vistoria de transferência de veículo, também chamada de vistoria do Detran ou ainda de vistoria de identificação veicular e documental, é obrigatória para a transferência de propriedade do veículo e/ou de localidade.

Para você ficar por dentro de tudo, preparamos este post, explicando o que é e quais os objetivos, quem paga a vistoria de transferência, como agendar, o que é avaliado e o que fazer se o veículo for reprovado!

Quais os objetivos da vistoria de transferência veicular?

A vistoria de transferência veicular nada mais é do que uma avaliação das condições em que se encontra o veículo no momento da transferência, de modo a certificar que o mesmo não apresente irregularidades que possam comprometer a segurança.

Porém, o objetivo não é apenas garantir a segurança do veículo, mas também se a propriedade é legítima, bem como se a documentação é autêntica e se os elementos identificadores não apresentam adulterações, comuns em veículos clonados provenientes de roubo e furto, garantindo mais confiança e transparência para todos.

Como afirmamos, ela é realizada sempre que houver perspectiva de transferência de propriedade de um veículo ou mudança de Estado e/ou cidade.

Quem paga a vistoria de transferência de propriedade: vendedor ou comprador?

Essa é uma dúvida muito comum entre as pessoas, e a resposta é “depende da negociação”. Normalmente quem paga a vistoria é aquele que está adquirindo o veículo.

De todo modo, é importante que o comprador verifique se o veículo possui pendências. Se esse for o caso, é o vendedor quem deve quitá-las.

Como agendar uma vistoria veicular?

A vistoria veicular é realizada pelas Empresas Credenciadas de Vistoria (ECVs) ou, se em seu Estado esta opção não estiver disponível, pelo próprio Detran.

Você pode encontrar as empresas credenciadas no site do Detran do seu Estado. Lá, você pode conferir o nome, endereço e telefone das ECVs.

Dê preferência às empresas que utilizam o Vistosoft, sistema de vistoria do Grupo Otimiza, o mais seguro e ágil do mercado!

Caso seu Estado não tenha ECV, agende direto com o Detran. Alguns Detrans organizam as vistorias por meio do agendamento presencial e/ou pelo site.

O processo pode ter diferenças de uma localidade para outra, já que os departamentos operam de forma independente em cada Estado.

Atente-se às regras de cada Estado e, em caso de dúvida, não deixe de entrar em contato com o órgão competente ou com sua ECV de preferência para mais esclarecimentos.

O que é avaliado na vistoria de transferência?

Homem inspecionando roda de veículo

Na vistoria de identificação veicular e documental devem ser verificados:

  • A autenticidade do veículo e de sua documentação;
  • A legitimidade da propriedade;
  • A existência dos equipamentos obrigatórios e seu funcionamento;
  • Alterações de características do veículo e se elas estão devidamente regularizadas.

Após a verificação da documentação e das numerações de chassi, placa, motor e demais elementos identificadores, o vistoriador verifica os equipamentos obrigatórios, que devem estar em bom funcionamento e estado de conservação e se há alterações de características no veículo.

Os itens variam de acordo com o tipo de veículo. No caso de automóveis, esses são alguns dos equipamentos verificados:

  • Chave de roda, macaco e triângulo;
  • Pala interna (quebra-sol);
  • Buzina;
  • Hodômetro;
  • Retrovisores;
  • Pneus;
  • Sistemas de iluminação (faróis, lanternas, luzes de freio e de ré);
  • Limpador de para-brisa;
  • Cintos de segurança.

Após a verificação dos equipamentos obrigatórios, o vistoriador examina o veículo a fim de constatar se há alguma alteração de característica e se ela está regular.

As alterações de características mais comuns são:

  • Troca de carroceria em caminhões (aberta ou fechada);
  • Modificação de suspensão (veículo rebaixado);
  • Películas mais escuras do que as permitidas pela legislação;
  • Diâmetro do conjunto roda/pneu alterado;
  • Modificação de combustível;
  • Modificação de potência;
  • Inclusão de blindagem.

Se o veículo for aprovado, será emitido o laudo de vistoria aprovado que permitirá prosseguir com a transferência de propriedade e/ou localidade.

Porém, caso o veículo não seja aprovado, será emitido no laudo reprovado informando as razões para a reprovação para que sejam tomadas as devidas providências.

Fui reprovado na vistoria, e agora?

Se o seu veículo foi reprovado na vistoria de transferência por alguma alteração de característica não regularizada ou equipamento obrigatório em mau funcionamento, não precisa se preocupar! Você terá 30 dias para reparar o que foi apontado no laudo e reapresentá-lo onde fez a primeira vistoria, sem custo adicional.

Para evitar que isso aconteça, se for possível, antes de realizar a vistoria, cheque os itens obrigatórios, regularize toda a documentação e coloque os pagamentos em dia para evitar reprovação.

Pneus, luzes de sinalização, buzina, limpadores de para-brisa, cintos de segurança, iluminação da placa traseira e hodômetro são alguns dos itens que você mesmo pode observar, por exemplo.

Se notar que algo precisa de reparo, leve em sua oficina de confiança para realizar o serviço antes que seu veículo passe pela vistoria de transferência.

O processo pode parecer burocrático, mas é necessário para que a segurança e a transparência sejam sempre a prioridade.

A vistoria de identificação veicular e documental, além de ajudar a coibir crimes envolvendo roubo, furto e adulterações de veículos, garante que o veículo esteja em condições seguras para trafegar, evitando acidentes e contribuindo para a preservação da vida.

Dessa forma, todo mundo sai ganhando: quem compra, quem vende e quem regulamenta e fiscaliza.

No texto de hoje você aprendeu o que é e quais os objetivos da vistoria de transferência, quem é responsável pelo pagamento do serviço, como realizar o agendamento, o que é avaliado na vistoria e o que fazer se o veículo for reprovado.

Se você gostou deste post, siga-nos no Instagram, Facebook e LinkedIn, onde postamos outros conteúdos interessantes sobre o universo do trânsito.

Categoria:

Vistoria veicular

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram

Receba as novidades em primeira mão

Nós também odiamos spam, então não se preocupe com isso.