Como transportar seu pet no carro corretamente

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

O Brasil, segundo o levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) feito em 2019, soma mais de 139 milhões de animais domésticos, entre cachorros, gatos, aves, peixes e outros bichinhos, que proporcionam muito afeto nos lares.

Cada vez mais os pets vêm sendo vistos como parte da família devido a esse vínculo afetivo desenvolvido entre eles e seus tutores. Por isso, tem sido muito comum sair com eles para lugares pet-friendly, seja para o parque ao ar livre ou para o shopping, e até mesmo cafeterias e restaurantes.

Essa aproximação também fez com que o cuidado e a preocupação com a segurança dos pets crescessem. Por isso, hoje em dia é muito comum que surjam dúvidas na hora de transportá-los no carro: como devem ficar acomodados? Podem ir no colo? Devo utilizar uma cadeirinha?

Para saber tudo isso e dicas de como transportar seu pet no carro corretamente, leia o texto até o final!

O que diz a legislação sobre o transporte de pets?

Para saber como transportar seu pet no carro corretamente, o primeiro passo é revisitar o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). O documento legal, embora não apresente uma lei específica para o transporte de cachorros e gatos, por exemplo, é claro ao tratar de alguns cuidados que devem ser tomados.

Os advogados especialistas em Direito de Trânsito, Luiz Cláudio Figueiredo e Christian Sader, esclarecem que são dois os artigos que pautam o transporte de animais domésticos em veículos: o Art. 252 e o Art. 235.

Art. 252 do CTB

De acordo com o inciso II do Art. 252 do CTB, dirigir o veículo “transportando pessoas, animais ou volumes à sua esquerda, ou entre os braços e pernas” é infração média, sendo a penalidade o pagamento de multa no valor de R$ 130,16 e quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Art. 235 do CTB

Já o Art. 235 do CTB proíbe a condução de “pessoas, animais ou carga nas partes externas do veículo, salvo quando devidamente autorizado”. Caso o motorista seja flagrado cometendo a infração, que é grave, deverá pagar multa no valor de R$ 195,23, com aplicação de cinco pontos na CNH.

Logo, não é permitido levar o pet na caçamba de pick-ups, caminhonetes etc. Além disso, é proibido deixar o animal com a cabeça ou qualquer outra parte do corpo para fora do veículo enquanto o carro estiver em trânsito.

Art. 169 do CTB

O Art. 169 não pauta o transporte de animais, porém, diz que “dirigir sem atenção ou sem cuidados indispensáveis à segurança” é considerado infração leve, com penalidade por multa e perda de pontos na carteira. Portanto, os pets nunca devem atrapalhar a atenção do motorista.

Figueiredo e Sader afirmam que “além de receber a autuação no caso de alguma dessas infrações, o cidadão também só poderá seguir viagem após adequar a forma de carregar o animal, nos moldes da legislação”.

Os advogados também ressaltam que a legislação não especifica a quantidade permitida de animais para transporte no veículo. Dessa maneira, o bom senso do motorista deverá prevalecer.

Como facilitar o transporte de pets no carro

Os bichinhos não estão tão habituados como nós a andar de carro. Por isso, o passeio pode ser estressante para eles, tornando algumas orientações essenciais para que você transportar seu pet no carro da forma mais confortável possível.

Veja 4 dicas de como acostumar seu pet a andar de carro:

  1. Brinque com o pet
  2. Faça passeios curtos para acostumá-lo
  3. Mantenha o ar-condicionado ligado
  4. Faça um planejamento

1. Brinque com o pet

“É muito importante adaptar o animal para o passeio a ser realizado de carro. A sugestão é utilizar ração ou brinquedo que associe o veículo a algo que o pet adora: coloque o item dentro do carro e peça para o animal ir buscar, por exemplo”, recomendam Figueiredo e Sader.

2. Faça passeios curtos para acostumá-lo

Fazer passeios curtos antes de uma viagem longa também é uma ótima opção, já que alguns animais podem passar mal de enjoo durante a permanência no carro.

3. Mantenha o ar-condicionado ligado

Figueiredo e Sader também aconselham que o tutor deixe o ar-condicionado ligado, já que os animais, sobretudo os cães, costumam sentir mais calor dentro do veículo. “Lembrando que a temperatura deve ser ambiente, e não muito baixa, já que isso pode ser prejudicial para a respiração do animal”, advertem.

Assim, as janelas podem permanecer fechadas para manter a temperatura, o que também evita que o animal fique com a cabeça para fora do carro.

4. Faça um planejamento

Ao realizar uma viagem longa, procure optar por horários da manhã ou da noite, devido à temperatura amena. As viagens longas podem estressar e cansar o animal, sendo imprescindível o planejamento de paradas durante o percurso, permitindo que o pet saia um pouco do carro para fazer suas necessidades e se hidratar.

Ao fazer paradas durante a viagem ou transporte, jamais deixe o animal dentro do carro, sobretudo se a temperatura estiver alta. A alimentação do pet também deve ser evitada até quatro horas antes de viajar, de modo a evitar o enjoo.

Acessórios de segurança para transporte de pets

Para acomodar, proteger e transportar seu pet no carro corretamente, é essencial investir em itens de segurança. Conheça alguns deles!

Caixa transportadora

Alguns pets adoram a caixa transportadora, desde que a associe a algo legal — caso contrário pode ser vista como uma “prisão”. Permita que o cachorro ou gato se acostume com a caixa no carro para, então, começar a fazer o transporte.

“É muito importante certificar-se de que a caixa não irá tombar devido a uma freada brusca ou curva acentuada. Um método eficiente é colocar o banco dianteiro para trás de forma que o equipamento fique mais firme. Além disso, a portinha deve ficar fechada durante toda a viagem, evitando que o animal saia da caixinha”, explicam Luiz Cláudio e Christian.

Cestinha para pet

Esse acessório é indicado para cachorros e gatos de pequeno porte. “Basta deixar as alças do equipamento presas ao encosto de cabeça do banco traseiro e passar o cinto de segurança em volta da cestinha. “É preciso saber que esse tipo de equipamento consegue suportar pets de até 10 kg”, alertam os advogados.

Adaptador para cinto de segurança

Cachorro usando adaptador de cinto de segurança para veículo

Os adaptadores contam com um mosquetão e uma fivela universal — o primeiro é preso à coleira peitoral, como se fosse uma guia, e a segunda é conectada ao encaixe do cinto de segurança do próprio veículo. Assim, o bichinho não corre o risco de cair no assoalho do veículo, por exemplo.

Transporte de coelhos, aves e hamsters

Para transportar coelhos, é importante colocá-los em uma gaiola, com um material absorvente para conter suas eventuais necessidades.

No caso de pássaros, basta utilizar sua própria gaiola ou caixa de transporte transparente, específica para aves. O cuidado com os pássaros deve ser redobrado, por serem animais mais frágeis e com maior irritabilidade.

Para transportar hamsters, você deve levá-lo em uma gaiola com serragem, além de colocar pedaços de papel higiênico para facilitar o conforto, evitando-se viagens longas.

No texto de hoje você aprendeu o que diz a legislação sobre o transporte de animais domésticos, orientações para transportá-los com conforto e dicas para o uso de acessórios de segurança.

Deixar o pet solto no carro pode trazer muitos riscos para a segurança tanto do animal como dos passageiros e condutor, que pode se distrair com o pet solto no carro ou ter sua visão obstruída, o que pode provocar acidentes.

Por isso, contar com os itens de segurança para pet pode garantir que você faça uma viagem tranquila e dentro da lei!

Agora que você sabe como transportar seu pet no carro corretamente, compartilhe este texto nas suas redes sociais e faça com que ele chegue a mais pessoas!

Aconteceu na Otimiza

No último Dia Mundial dos Animais, 4 de outubro de 2021, o Grupo Otimiza realizou uma campanha interna de distribuição de adaptadores de cinto de segurança para pets entre nossos colaboradores, a fim de estimular os cuidados com os animais e contribuir para a segurança no trânsito.

Acreditamos que o incentivo ao transporte seguro e ao cumprimento da legislação são essenciais para o bem-estar no trânsito e, a partir dessa ação, são pelo menos 60 pets mais seguros.

A distribuição desses adaptadores para pets contribui para a propagação das informações, possibilitando uma conscientização espontânea.

Isso porque, ao levar o acessório para casa, nosso colaborador desperta o interesse de parentes e amigos, que acabam se conscientizando e repercutindo o aprendizado.

Assim, o alcance da campanha torna-se exponencial, propiciando um trânsito cada vez mais seguro, inclusive para os pets.

Confira algumas fotos dos peludos com o adaptador de cinto de segurança da Otimiza!

Categoria:

Notícias

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram

Receba as novidades em primeira mão

Nós também odiamos spam, então não se preocupe com isso.

Publicações Relacionadas